quinta-feira, 14 de julho de 2011

Gelo pode ficar fluido abaixo de -130°C

Quando a água é resfriada abaixo de zero grau, ela cristaliza, formando gelo, em condições normais de temperatura e pressão.
água no estado sólido e líquido
© Revista Física (água no estado sólido e líquido)
O físico sueco Ove Andersson, da Universidade de Umea, afirma ter conseguido pela primeira vez produzir uma água que flui lentamente a 130 graus abaixo de zero. Ele fez o experimento submetendo a água congelada a uma pressão 10.000 vezes maior do que a pressão atmosférica normal.
"A descoberta é também interessante na medida que nos ajuda a compreender as muitas propriedades anormais da água. Por exemplo, foi previsto que a água teria duas diferentes fases líquidas em baixas temperaturas. A descoberta confirma a existência de uma dessas duas fases," explica Andersson.
Recentemente foi descoberta uma nova fase quântica da água, mas essas "propriedades anormais" a que o pesquisador se refere estão longe de serem totalmente compreendidas.
O experimento foi feito expondo gelo cristalino comum, no qual os átomos estão dispostos de forma ordenada, a pressões crescentes em temperaturas abaixo de -130ºC.
A ordem das moléculas colapsou e o gelo se transformou em gelo amorfo, com uma disposição aleatória das moléculas de água.
"Quando eu então elevei a temperatura, o gelo transformou-se em água de fluidez lenta. Essa água é como a água comum, mas sua densidade é 35 por cento maior, e as moléculas de água se movem relativamente devagar, ou seja, a viscosidade é alta," explica o pesquisador.
A água tem algumas propriedades anômalas, como por exemplo, na água congelada, cuja temperatura está abaixo de zero, sua densidade diminui quando a temperatura decresce e aumenta quando a temperatura se eleva.
"Há desvios que são conhecidos há muitos anos, e eles são muito importantes. Contudo, não há nenhuma explicação geral para eles, mas a resposta pode estar na forma como as propriedades da água são afetadas quando ela é exposta a altas pressões," defende Andersson.
Teorias preveem que a água exista em duas diferentes fases líquidas, uma com baixa densidade e outra com alta densidade, com a transição entre as fases ocorrendo a baixas temperaturas e altas pressões.
Quando a água esfria e se aproxima dessa zona de transição, pode haver uma transformação gradual que afeta as propriedades da água.
Infelizmente, esta transformação é difícil de estudar, pois a água normalmente cristaliza. Uma forma alternativa de estudar essa zona é primeiro criar o gelo amorfo.
As novas descobertas mostram que o gelo amorfo provavelmente se converte em água de alta viscosidade quando é aquecido sob alta pressão.
É possível que essa água fria e de fluidez lenta exista em corpos celestes de grande massa.
Fonte: ScienceDaily

Um comentário:

  1. Muito interessante essas anomalias da água e difícil de analisar.

    ResponderExcluir